Juta malva e chita uma combinação que deu certo.

 Ao elaborar um projeto de peças para copa cozinha com  juta  e chita fiquei pensando em todo processo de plantio e produção da fibra,Daí resolvi pesquisar o assunto.Vou compartilhar com vocês o resultado da minha pesquisa.

Juta malva e chita a mistura perfeita
Juta malva e chita a mistura perfeita

Espero que seja útil em especial para artesãs que assim como eu gosta de agregar conteúdo a seus produtos.Até os anos 30 o Brasil dependia exclusivamente da juta importada da Índia. Introduzida no Brasil por Ryota Oyama, a cultura foi feita inicialmente por imigrantes japoneses, Usada em  artesanatos, cestas de café da manhã e decoração,é assim que costumamos ver a Juta por toda parte.Mas é na indústria cafeeira que ela é largamente utilizada. A juta (fibra têxtil vegetal) é a principal matéria-prima das sacas que embalam café e percorre o mundo inteiro junto com os grãos que são exportados.Podendo  alcança uma altura de 3 a 4 metros e o seu talo tem uma grossura de aproximadamente 20 mm, crescendo em climas úmidos e tropicais. As plantas florescem quatro a cinco meses depois de plantadas as sementes de juta na camada da terra é inteiramente regada até surgir os primeiros brotos, depois de semeadas e inicia-se imediatamente a colheita. A fibra útil é contida entre a casca e o talo interno e a extração é feita pelo processo da maceração.  (maceração é o nome dado a uma operação física que consiste em retirar ou extrair de um corpo, certas substâncias que são consideradas princípios ativos. Esses princípios ativos podem ser posteriormente utilizados com certas finalidades, quer farmacológicas, quer químicas.) As árvores cortadas rente ao solo por meio de foices, são limpas das folhas, postas em feixes dentro da água corrente ou parada.Sendo culturas de várzea, os malvicultores e os juticultores trabalham durante boa parte do tempo de uma jornada de trabalho em ambiente inóspito, frequentemente dentro d’água, principalmente na época da colheita, quando o caule (haste) da planta é cortado, para depois permanecer imerso na água para facilitar a retirada da casca (envira), a qual depois de limpa revela as fibras de malva e juta. Esse processo é secular..A partir da colheita, o processo segue com o corte, a maceração, a lavagem, a secagem e o enfardamento das fibras.A alta temperatura das regiões nas quais é cultivada favorece a fermentação e desta forma consegue-se a maceração em 8 a dez dias, permitindo assim a fácil retirada da casca da planta e separação da fibra da parte lenhosa do talo. Enxagua-se e empacota-se.As melhores qualidades de juta distinguem-se pela robustez das fibras e pela cor branca e brilhante do talo; as qualidades inferiores distinguem-se pela cor dos talos, que são mais escuros, pelo menor comprimento das fibras, de cor mais acinzentada, ao pesar de terem menor resistência.O que poucos sabem é que as “pseudo” sacas de juta apresentam 90% de outra matéria-prima, que é pouco comentada: a malva. Tanto na produção quanto na indústria, elas são processadas e classificadas como uma só. Até os anos 30 o Brasil dependia exclusivamente da juta importada da Índia. Introduzida no Brasil por Ryota Oyama, a cultura foi feita inicialmente por imigrantes japoneses,

 

Em processo de feixe
Em processo de feixe

Imagem do site de busca Google. https://vimeo.com/70962494

 

Juta malva e chita a mistura que deu certo
Juta malva e chita a mistura que deu certo

Imagens do site de busca Google.

http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,ERT183007-18283,00.html

Fonte de pesquisa.

https://textileindustry.ning.com/forum/topics/malva-e-juta-no-amazonas-do-que-se-trata-exatamentehttp://www.mexidodeideias.com.br/industria/voce-sabe-como-a-juta-e-feita/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Juta

Deixe uma resposta